"O stress diário, o excesso de trabalho e os prazos apertados, levam-nos muitas vezes a descuidar na alimentação. Só que sem refeições saudáveis, não conseguimos angariar a energia necessária para enfrentar mais um dia de trabalho. Assim, há que fazer um esforço para manter uma dieta equilibrada, de forma a não prejudicar o rendimento. Factores negativos como o stress, variações de humor e desânimo, podem estar mesmo relacionados com uma má alimentação."

ESCOLHA QUAL CORPO VOCÊ DESEJA TER, E DECIDA QUAL ALIMENTO COMER.

ESCOLHA QUAL CORPO VOCÊ DESEJA TER, E DECIDA QUAL ALIMENTO COMER.

Welcome

Pesquisar este blog

Olha eu aqui ...





Arquivo

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Ler sobre Hortelã.




Com grande capacidade de adaptar-se a climas diferentes, a hortelã é conhecida no mundo inteiro, não só pelo seu sabor, mas também pelo gostoso aroma e valor terapêutico. Ela é estimulante, carminativa, antiespasmódica e um tônico poderoso para organismos depauperados. Elimina cálculos biliares, icterícia, palpitações, tremedeiras, vômitos, cólicas uterinas, dismenorréia, prostatite e tosse, favorecendo a expectoração e eliminando das toxinas.
A planta ainda é ideal para insônia, flatulência, vermes e problemas digestivos, sejam gases, prisão de ventre, dores de barriga ou de estômago. Isso porque excita, estimulando estes órgãos com a contração do estômago e movimentos peristálticos do intestino. É muito usada para cólicas e timpanite, principalmente se forem de origem nervosa. Seu sumo, embebido em algodão, melhora as dores de dentes. Na amamentação, aumenta a produção do leite. Antiséptico bucal, elimina aftas, infecções da boca em geral (bochechos) e garganta (gargarejos). A hortelã é também analgésica, indicada para dores de cabeça, cólicas intestinais, hepáticas e nefríticas. É ótima para problemas circulatórios, depurando o sangue. Além disso, ela acalma…





Fontes:

http://www.saudeintegral.com/artigos/hortela-a-folha-dos-deuses.html

Nenhum comentário:

Receita para emagrecer: amor próprio

Você já percebeu que muitas pessoas são viciadas em cigarro, drogas, álcool, dinheiro, poder, trabalho, sexo, comida? O que há em comum em todas essas situações? Uma resposta seria a necessidade de fugir e a outra de sentir prazer, só que infelizmente por caminhos destrutivos. Todas são maneiras de preencher um vazio interno com algo externo. Com isso, a frustração e a insatisfação permanecem, diminuindo cada vez mais a auto-estima, pois a pessoa se sente incapaz.

Estamos num momento em que a busca pelo TER infelizmente sobrepõe-se facilmente ao SER. O que acontece? Por que as pessoas acreditam que ao obterem algo material ou externo, suas vidas mudarão? Por que, mesmo apesar dessa busca incessante, há tanta ansiedade, tensão, doenças? Por que tantas pessoas infelizes, sofrendo, sentindo-se sozinhas e principalmente, com uma sensação profunda de vazio? A solidão só é sentida quando a própria pessoa se abandona. Todos podem até te abandonar, mas você não pode nunca fazer o mesmo.

Do ponto de vista emocional, qualquer fuga é negativa, pois sempre que se foge de uma situação, na verdade se está fugindo dos próprios sentimentos. Ou, o que é pior, representa uma fuga de si mesmo e do que está dentro de si, ainda que inconsciente.

Por isso, mesmo depois de ter saciado sua vontade, sentido prazer - momentâneo, claro - o vazio continua.

Resultado: frustração, angústia, insatisfação e a sensação cada vez mais forte de não ser capaz, ou seja, a auto-estima despenca e a culpa se faz presente. Você já parou para pensar qual a causa desse vazio? O que está faltando? O que está buscando de verdade? Faça uma reflexão profunda consigo mesmo e ouça a resposta.

Você pode responder que falta dinheiro, sucesso, amor, reconhecimento, aprovação, mas será que buscando preencher esse vazio com algo externo, você consegue preenchê-lo? Com certeza poderá te causar mais angústia, não é mesmo? Na verdade, falta algo básico: amor-próprio. Já pensou nisso?

E como se amar? Conhecendo-se. Afinal só podemos amar quem conhecemos. Para isso é preciso desenvolver o autoconhecimento. Isso é ter consciência de suas emoções, necessidades, saber quem você é, o que quer, o que pensa, quais são seus valores, desejos, sonhos e principalmente, o que sente.

Pergunte-se agora: "O que estou sentindo?" Qual é a resposta que vem na sua cabeça? Ouvindo a resposta, procure respeitar o que sente, agindo de acordo com esses mesmos sentimentos. Trate-se com mais carinho, seja amoroso com você, da mesma forma que seria com alguém que ama. Afinal:

"NÃO PODEMOS AMAR NINGUÉM MAIS DO QUE NOS AMAMOS,
E NÃO PODEMOS RECEBER AMOR DE ALGUÉM,
ENQUANTO NÃO RECEBERMOS O NOSSO PRÓPRIO"